Xantelasma e Milium. Entenda as diferenças

O xantelasma caracteriza-se por pequenos depósitos de bolsas amareladas constituída por gordura (lipídios) localizadas na região dos olhos, mas precisamente na região palpebral. Iniciam-se geralmente no canto interno das pálpebras e podem disseminar por toda a região. Estas placas são planas mas podem ser salientes, ou seja levemente elevadas. Em algumas pessoas tem como causa, níveis elevados de taxas de colesterol sanguíneo, porém na maioria dos casos não há nenhuma causa sistêmica. O diagnóstico e tratamentos são realizado por médicos e uma das formas de retirada é através de eletrocoagulação, laser ou excisão cirúrgica. Muitos clientes na dúvida procuram o esteticista pensando que tal lesão pode ser removida no centro de estética semelhante ao milium ou ao comedão fechado. Mas é importante orienta-lo que consulte um dermatologista para a retirada dos xantelasmas.

O milium é um micronódulo epidérmico superficial formado por queratina e não por sebo. Pode ser removido pelos esteticistas com auxílio de uma microagulha de insulina, com toda assepsia do ambiente, antissepsia da pele e cuidado de biossegurança quanto ao descarte do material de uso único e descartável. Deve lancetar a extremidade do milium e após remover seu conteúdo.

 

image2

Há muitas dúvidas e confusão quanto ao siringoma (parecido com o xantelasma), milium (confundido com comedão fechado). É importante identificar tais entidades cutâneas e saber quando o esteticista pode remover, como no caso do milium e comedão fechado, ou quando deve encaminhar ao médico( como no caso do xantelasma e siringoma).

O profissional esteticista atua de forma efetiva em várias afecções estéticas, mas deve saber de forma correta orientar seu paciente quanto determinado tratamento cabe a outro profissional. Dessa maneira agimos de forma ética e responsável!

Texto: Cristiane Rocha
Portal Esteticistas

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *